Quem Somos

Não deixe de ler artigo publicado pelo jornal O VALOR, o mais importante jornal econômico da América Latina, assinado por diretores da LIBRES e do Instituto MARAMAR, sobre o incêndio da Ultracargo, em Santos, um dos maiores desastres ambientais do País.
Clique aqui….

LIBRES SOCIOAMBIENTAL

 

Tem como objetivo a mediação de conflitos que impactam comunidades tradicionais: indígenas, pescadores, quilombolas, pantaneiros, comunidades de fundo de pasto, catadoras de babaçu, quebradeiras de coco e todos os demais.

A partir de outubro de 2015 passou a prestar orientação aos povos tradicionais sobres seus direitos na área previdenciária, notadamente no que diz respeito a aposentadorias.

Constituída por profissionais e colaboradores, além de um grupo multidisciplinar de técnicos nas diversas áreas de especialidades e interesses, atua há cerca de uma década junto às comunidades de base. Assim,  acumulou uma gama de conhecimentos específicos que auxiliam na melhor forma de gestão e na mediação de conflitos socioambientais.

A LIBRES está presente nas principais unidades da federação, com forte atuação nos Estados do Espírito Santo, São Paulo, Paraná e Bahia.

Como prática de suas atividades e atribuições, realizou a construção coletiva da Cartografia Socioambiental das Comunidades Tradicionais de Pescadores Artesanais de Ubu e Parati, no município de Anchieta, Estado do Espírito Santo.MAPA_7a Um resgate de seus saberes e viveres para identificar e registrar suas práticas artesanais de pesca, seus territórios tradicionais de subsistência de forma a protegê-las da ocupação territorial pelas grandes empresas e corporações, foco de constantes conflitos que geraram pobreza social e ambiental.  É função da LIBRES replicar esta metodologia de processo em outras Comunidades Tradicionais no país, mediante demanda espontânea e caracterizada pelos conflitos socioambientais.

Mantém constantes reuniões com pescadores, índios, quilombolas,  para orientação de caráter socioambiental a comunidades de vários Estados Brasileiros. 

 

Indígenas repudiam militar na FUNAI

fracking_grafico

Isto tanto nas questões
socioambientais,  produtos e serviços de caráter socioeducativo, previdência social, direitos e obrigações, como na gestão territorial. Além disto, dispõe de um banco de projetos de desenvolvimento sustentável, culturais, sociais, educacionais e de geração de renda.

Maggi: de novo uma má notícia para os pescadores?
Com atuação intensiva junto às Comunidades Indígenas Tupinikim e Guarani, no município de Aracruz, interage e apoia os projetos e programas de resgate de suas identidades e na reorganização do seu território recentemente reconquistado.

Neste mesmo viés, tem atuado em apoio as instituições indígenas no país em questões isoladas, ou em questões de políticas públicas de
valorização das

diversas etnias que compõem o mosaico dos povos indígenas brasileiros.

Por prática e política interna, a LIBRES procura, sempre que possível, a integração de suas ações com os Ministérios Públicos, conveniando formalmente com os Centros de invasaoApoio específico dos Estados, de forma a proporcionar a melhor atuação no interesse coletivo e na transparência de suas ações.

Em muitas ocasiões, a solução dos conflitos está na provocação do judiciário, demandando as questões pelo ordenamento jurídico. Para isto a LIBRES conta com um corpo jurídico especializado em diversas regiões do país.

A LIBRES também atua em consultorias especializadas nas questões socioambientais que envolvem Comunidades Tradicionais, cujo resultado é direcionado às Empresas e Corporações, na busca de um melhor entendimento na mediação dos conflitos, gestão estratégica territorial e desenvolvimento integrado.

É também atribuição da LIBRES a difusão didática e pedagógica dos conceitos da Gestão Territorial Participativa e a Mediação de Conflitos através de Palestras Técnicas. Para o público acadêmico e corporativo, cursos presenciais.

Para Jornal